segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Ao som do Exalta

Fica mais fácil contar o meu fim de semana de mulher e tal, sem o “mãe” na frente. A pedido da avó paterna, levei as meninas pra passarem o fim de semana com ela. É dia de converter as horas sem elas em momentos pra mim (que coisa esporádica, não?). Foi o que eu fiz. Não engoli a comida sem nem mastigar como costumo fazer, dormi depois do almoço, pintei o cabelo, demorei o tempo que eu quis no banho. Entrei num pretinho básico tomara-que-caia e saí. Dancei até não agüentar mais, me acabei. Peguei uma fila interminável pra pagar a conta depois de um pagodinho restaurador. Voltei pra casa, apaguei e, acreditem se quiser, acordei ao meio dia. Cansada, mas já cheia de saudade das pequenas, tomei banho e fui buscá-las.

Deixei a mulher e tal dormindo, voltei a ser mãe em tempo integral (com dor nos pés e com todo o meu coração).

Saldo absolutamente positivo do fim de semana. Às mães que estão lendo, sempre que tiverem oportunidade, vivam pra vocês, cuidem de vocês. E não se culpem, nenhuma mulher é menos mãe porque virou a noite na balada ou tomou um porre. Não acho, de forma alguma, que encarar uma noitada seja tão intenso quanto estar na companhia dos filhos, mas soma momentos de prazer. Eu acho é que mãe feliz transfere a felicidade pros filhos. Então sejamos advogadas, baladeiras, médicas, leoas protegendo as crias. Sejamos MÃES, MULHERES E TAL.

“Vamos viver tudo que há pra viver, vamos nos permitir”.

Jéssica Miranda

Um comentário:

Marília disse...

oie... entao resolvi comentar pq estou simplesmente apaixonada pelo blog, é perfeito, bem escrito e lindo decorado com 3 bonequinhas perfeitas... Jéssica espero que vc esteje bem, ha muito tempo não vejo vc mas tenho um carinho especial... te desejo toda sorte do mundo e que vc viva sempre pra vc e pra elas...beijosss